18/08/17

Opinião: "Carrie" de Stephen King

"Carrie era a ave rara da escola e o alvo da chacota e da maldade dos outros adolescentes, que passavam a vida a pregar-lhe partidas. Maltratada e brutalmente reprimida pela mãe, uma fanática religiosa para quem tudo é pecado, Carrie direcionava as suas energias para os objetos, fazendo-os moverem-se apenas com o poder da mente. Quando o rapaz mais popular da escola a convida para o baile de finalistas, a tímida Carrie começa a ver-se a si própria de maneira diferente e a ganhar confiança. No entanto, um ato de uma crueldade indizível mudará para sempre o rumo das coisas. Ao ser vítima da mais terrível das humilhações, Carrie liberta por fim todo o seu poder, transformando-se numa arma de terror e destruição. E enquanto todos os presentes no baile se riem dela, as portas trancam-se de repente e o riso depressa dá lugar aos gritos de medo e horror..."

Wook.pt - Carrie
Boa sexta-feira, livrólicos!! Como estão a correr as vossas leituras??

Eu tenho de admitir que este mês está a correr muito bem! Carrie, a minha última leitura, é uma novidade da 11x17 (muito obrigada por me terem enviado um exemplar deste livro) e o primeiro livro de Stephen King que li.

Tenho de admitir que estava à espera de algo diferente. Estava à espera de um conto de terror, algo que me aterrorizasse enquanto lia na cama e me impedisse de dormir, mas o que acabei por encontrar foi um livro com uma grande carga psicológica. Não digo isto de forma completamente negativa, só que o facto de estar à espera de uma coisa um pouco diferente acabou por condicionar a minha opinião.

Tenho de admitir que, quando comecei a folhear Carrie, fiquei assustada: apesar das poucas páginas do livro (cerca de 250), este divide-se apenas em três partes, partes estas que funcionam quase como capítulos. No entanto, cada uma destas partes contém textos mais pequenos, o que torna esta uma leitura fácil, fluída e nada maçuda.

A mãe de Carrie é uma fanática religiosa e esse facto torna Carrie uma "atrasada", no sentido de não conhecer certas coisas completamente naturais. E isto foi algo que mexeu comigo: como é que é possível que uma rapariga de dezasseis anos não saiba que a menstruação e os seios é algo natural na mulher e não uma coisa do Diabo?! Também o bullying que Carrie sofre por parte dos colegas é um fator que vai desencadear o que se vai passar no final e é também fruto da educação fanático-religiosa que a mãe de Carrie lhe dá.

Ao fim e ao cabo, este livro acaba por nos mostrar o quanto as ações e o comportamento dos outros para connosco nos pode afetar, sendo este facto ainda amplificado pelo facto de Carrie ser detentora do poder da telecinética.

Tenho também de referir o facto de as personagens serem bastante realistas, especialmente os alunos do liceu. Os alunos "populares", a peer pressure, entre outros, tudo isso é muito bem descrito pelo autor!

Classificação: 3,5/5

Uma leitura com apoio da
Foto de 11x17.

17/08/17

Séries que ando a ver

Com a chegada do Verão já se sabe como é: a vontade de ler diminui e a vontade em ver séries aumenta. Pelo menos comigo é assim! Hahaha!

Por isso, e como ainda não terminei o livro que estou a ler, o post de hoje vai ser acerca das séries que estou a ver. Se andam à procura de recomendações de séries para ver, não percam estas!!

  • Suits
Imagem relacionada
Suits é uma das minhas séries favoritas neste momento! A trama centra-se em Harvey, um advogado genial de um escritório de advogados de prestígio de Nova Iorque, e Mike, que, apesar de não ter tirado o curso de Direito, é contratado por Harvey para trabalhar com/para ele. Eu estou quase a terminar a terceira temporada (são sete até agora) e cada vez mais me sinto cativada por esta série! Tenho de admitir que o facto de me interessar bastante por Direito pode ajudar ao meu interesse por esta série, mas tenho quase a certeza que Suits não vai deixar ninguém indiferente!

  • The Blacklist
Eu sei que The Blacklist não é uma série muito recente e, se calhar, muitos de vós até já a viram, mas eu comecei-a a ver há cerca de um mês e pouco (quando começou a dar no AXN) e desde então que tenho visto todos os episódios todas as quartas-feiras à noite. O que mais me cativa nesta série é o facto de não ser a típica série de investigação de homicídios a que estamos habituados, tipo NCIS: Los Angeles (ou qualquer NCIS) ou Hawai: Força Especial. Para além disso, também estou bastante curiosa em relação a Raymond Reddington (uma das personagens principais e também quem tem os nomes da «Lista Negra»), pois ainda não consegui muito bem perceber quais as intenções certas dele (apesar de já ter algumas teorias).

  • Jamestown
Imagem relacionada
Jamestown é uma das séries atualmente em exibição na Fox Life (segunda às 22h15) e uma série recente que conta ainda com apenas 1 temporada. Apesar de não ser grande fã do género histórico, Jamestown cativou-me pela sua história (a chegada das mulheres a Jamestown após os homens lá terem estado durante 12 anos) numa altura em que as mulheres não tinham poder nenhum nem vontade própria.

  • Candice Renoir
Resultado de imagem para candice renoir
Bem, ainda na sexta-feira falei sobre esta série, mas como estou novamente a vê-la não podia faltar aqui! Candice Renoir (podem ler a minha opinião completa sobre esta série aqui) é, juntamente com Suits, a minha série do momento! É impossível ficar indiferente a esta comandante da polícia francesa com os seus métodos pouco habituais e a sua atribulada vida amorosa e familiar (afinal tem quatro filhos e é mãe solteira)!!

De momento, são estas as séries que ando a ver. E as vossas, quais são?

14/08/17

Opinião: "Ao Fechar a Porta" de B. A. Paris

"Quem não conhece um casal como Jack e Grace? Ele é atraente e rico. Ela é encantadora e elegante. Ele é um hábil advogado que nunca perdeu um caso. Ela orienta de forma esmerada a casa onde vivem, e é muito dedicada à irmã com deficiência. Jack e Grace têm tudo para serem um casal feliz. Por mais que alguém resista, é impossível não se sentir atraído por eles. a paz e o conforto que a sua casa proporciona e os jantares requintados que oferecem encantam os amigos. Mas não é fácil estabelecer uma relação próxima com Grace... Ela e Jack são inseparáveis. 

Para uns, o amor entre eles é verdadeiro. Outros estranham Grace. Por que razão não atende o telefone e não sai à rua sozinha? Como pode ser tão magra, sendo tão talentosa na cozinha? Por que motivo as janelas dos quartos têm grades? Será aquele um casamento perfeito, ou tudo não passará de uma perfeita mentira? 

Um thriller brilhante e perturbador, profundamente arrebatador, que se tornou num autêntico fenómeno literário internacional com publicação em mais de 35 países. A não perder."

Wook.pt - Ao Fechar a Porta
Olá, livrólicos! Como está a correr a vossa segunda-feira? Eu tenho de admitir que me sinto bastante feliz por ter comprado uns quantos livrinhos na Bertrand e todos eles em promoção!! :)

Mas, agora, indo ao que interessa; hoje trago-vos a opinião de um livro muito badalado e, sem dúvida, um livro que os leitores portugueses vão querer ler este verão: Ao Fechar a Porta de B. A. Paris.

Este foi mais um daqueles livros que conheci no Bookstagram e que, quando vi que ia ser publicado em Portugal, decidi que tinha de o arranjar o mais rapidamente possível. Ainda bem que o fiz!

Tenho de admitir que, a princípio, fiquei um pouco de pé atrás ao ver que os capítulos eram um pouco longos (algo que vocês já devem ter percebido que não me agrada), mas, assim que comecei a ler, esse contra ficou para trás, tendo em conta o estado de curiosidade que este livro me deixou! Só queria ler mais e mais e saber o que verdadeiramente se escondia por detrás da fachada do casamento perfeito de Grace e Jack.

Desde o início que somos presenteados com a apresentação da perfeição com que vivem rodeados Jack e Grace. É impossível não desconfiar de tanta perfeição: jantares perfeitos, viagens de sonho à Tailândia, os vestidos fantásticos, a vida aparentemente despreocupada e perfeita de Grace... E a verdade é que, à medida que Grace nos vai contando a sua história, toda esta perfeição toma um significado totalmente diferente e bastante assustador!

Este livro foca-se essencialmente no vertente psicológica das personagens e essa é, sem dúvida, a razão pela qual a sua história é tão forte

Também não podemos esquecer Millie, a irmã mais nova de Grace, que sofre de Síndrome de Down e que tem um papel fundamental no desenrolar da ação.

O final é um pouco previsível, mas não poderia ter sido de outra forma. Não depois da montanha-russa de emoções (negativas) que vivemos através de Grace e daquilo que ela nos conta.

Um livro muito bom, ideal para as leituras de verão! O tipo de livro que nos deixa a pensar se alguma vez ficamos verdadeiramente a conhecer aqueles que nos rodeiam.

O novo livro da autora, The Breakdown, foi publicado recentemente e espero que a Editorial Presença o publique num futuro próximo.

Classificação: 4/5

13/08/17

Novidades da semana - 13 a 19 de agosto

Já se sabe como é o mês de agosto, não é verdade?! No entanto, estes dois novos lançamentos da Editorial Presença deixaram-me curiosa... E a vocês?

  • 16 de agosto