05/09/17

Opinião: "O Último Amanhã" de Adam Croft

"Só quando Nick põe a filha na cadeirinha do carro é que percebe - esqueceu-se de trazer o desenho que ela tanto queria levar para a escola. Volta para casa numa correria, já está atrasado, deixa a miúda com o cinto de segurança posto, tranca o veículo, ou pelo menos pensa que sim. Procura o raio do desenho, encontra-o, regressa… Mas é tarde demais. No espaço de alguns minutos (ou terão sido segundos?), Nick vê a sua vida desabar. A menina, de cinco anos, não está no carro. Nem no carro, nem em lado nenhum.

Em capítulos alternados, narrados ou por Nick ou pela sua mulher Tasha, entramos na intimidade deste casal que vive nos arredores de Londres. Ele, escritor, pacato, meio distraído, ela mulher de negócios a fazer pela vida na City. Descobrimos o que os separa, mas também o que os une: o amor infinito por Ellie, uma menina muito especial.
E apercebemo-nos, crescentemente chocados, de que talvez haja um lado muito sombrio no passado de Nick, que justifique a mensagem que ele um dia recebe: 
A Ellie está bem. Pode tê-la de volta depois de matar a sua mulher. 

O Último Amanhã, originalmente publicado numa edição de autor, tornou-se rapidamente num dos livros mais vendidos em Inglaterra - e valeu ao autor, Adam Croft, um chorudo contrato com a Amazon. Thriller perturbante, que apaixonou milhares de leitores, retrata de forma aflitiva a inquietação permanente da vida moderna - e a suspeita de que todos nós escondemos segredos do passado."

Wook.pt - O Último Amanhã
Bom dia, livrólicos!

Desculpem andar um pouco desaparecida por aqui, mas a verdade é que não sei como é que o tempo tem passado tão depressa! Para a semana já começo as aulas e parece que ainda ontem entrei de férias!

No entanto, lá por andar desaparecida não significa que também tenha descuidado as leituras. Aliás, neste momento, para além desta opinião que estou agora a escrever, tenho ainda uma outra e ontem comecei também um novo livro, por isso estejam atentos ao blogue esta semana!

A opinião de hoje tem como alvo um livro relativamente recente, publicado pela Lua de Papel, e que me chamou logo a atenção devido à sinopse: O Último Amanhã de Adam Croft. Tenho de admitir que, apesar de estar bastante curiosa em relação a este livro, nunca pensei que ele me surpreendesse tanto!

Sem dúvida que o primeiros aspeto positivo a realçar neste livros são os capítulos curtos. A história é narrada alternadamente por Nick e Tasha, o que confere uma camada de dúvida à trama: à medida que a história avança começamos a duvidar da veracidade da história que Nick relata, pondo em causa a nossa confiança nele.

Muitos são os livros que ultimamente se centram em raptos de crianças e tenho de admitir que receei que este fosse apenas mais um, tipo O Casal do Lado, que acabou por ser uma grande desilusão (pelo menos para mim). Mas a verdade é que este livro acabou por ter uma ação muito mais frenética e que nos proporciona uma leitura bastante rápida.

Apesar de já não me lembrar muito bem em quantos dias li este livro, lembro-me perfeitamente da sensação de ter de lê-lo para saber qual seria o desfecho: iria Nick acabar por matar a mulher? Será que Ellie iria voltar mesmo que Nick matasse Tasha ou nem por isso? Se Nick não cumprisse o pedido de resgate o que iria acontecer a Ellie? E, a mais importante de todas: quem é que raptou Ellie e tem um ódio assim tão profundo a Tasha?

Por fim, resta-me apenas salientar o quão imprevisível foi o final de O Último Amanhã. Apesar de quase no final ter começado a ponderar essa hipótese, nunca pensei que o culpado fosse quem foi!

Classificação: 5/5

2 comentários:

Cláudia Flor disse...

Adorei o post! :)

www.aflormaria.blogspot.pt

beijinhos

Monyque Evelyn disse...

Gostei bastante, já quero ler :D

https://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

Enviar um comentário