25/03/17

Opinião: "A Viúva" de Fiona Barton

"A MULHER
A existência de Jean Taylor era de uma banalidade abençoada. Uma boa casa, um bom marido. Glen era tudo o que sempre desejara na vida: o seu Príncipe Encantado. Até que tudo mudou.

O MARIDO
Os jornais inventaram um novo nome para Glen: monstro, era o que gritavam e lhe chamavam. Jean estava casada com um homem acusado de algo impossível de imaginar. E à medida que os anos foram passando sem qualquer sinal da menina que alegadamente raptara, a vida de ambos foi sendo escrutinada nas primeiras páginas dos jornais.

A VIÚVA
Agora, Glen está morto e pela primeira vez Jean está só, livre para contar a sua versão da história.

Jean Taylor prepara-se para nos contar o que sabe."

Boa tarde!! Graças a Deus, que já é fim-de-semana (apesar de ainda ter de estudar para filosofia e físico-química...!!

Hoje, venho trazer-vos mais uma opinião, desta vez também de um policial/thriller psicológico!! :)

Eu já tinha começado a ler A Viúva antes dos últimos dois livros que li, mas depois acabei por o deixar a meio. Este foi um livro bastante badalado no verão do ano passado (aliás, eu comprei-o na FLL de 2016! Hahaha!), por isso achei que estava na altura de pegar nele.

A história em si não me surpreendeu. Penso que, ultimamente, os escritores deste género se têm encostado a uma "receita" que sabem ser de sucesso e que dá lucro, mas sem variarem muito o plot.

Apesar de tudo, A Viúva consegue ser diferente e em vez de ter apenas um narrador, temos três (cinco, se considerarmos dois breves relatos), se bem que também neste livro existe aquele narrador em quem não podemos confiar, pois é sempre muito vago e ficamos sempre na incerteza sobre se teve alguma coisa a ver com o crime ou não.

Apesar de ter gostado desta alteração com o número de narradores, achei que o reduzido número de personagens presumivelmente culpadas tornou fácil chegar à conclusão de quem seria o culpado. 

No entanto, houve algo de que gostei bastante neste livro, que normalmente não me costuma agradar muito: as "viagens no tempo". O facto de à medida que a história se desenrolava no presente sermos também informados sobre o que se tinha passado no passado, apenas contribuiu para que ficássemos a conhecer melhor a história e não confunde nada os leitores (ao contrário do que normalmente acontece).

Outro pormenor que me agradou foi o facto de quer o trabalho policial quer o trabalho jornalístico terem sido descritos com bastante rigor. Decerto que se relaciona com a própria autora, Fiona Barton, e o seu trabalho como jornalista, mas não deixa de dar um certo toque de autenticidade à história.

Apesar de ser um livro com um tema interessante, este é também um tema recorrente em diversos livros no género, pelo que não torna difícil ao leitor adivinhar o desfecho. Não deixa, no entanto, de ser uma boa leitura para os amantes de thrilers psicológicos!

Classificação: 4/5

19/03/17

Opinião: "A Viúva Negra" de Daniel Silva

 
"O lendário espião e restaurador de arte Gabriel Allon está prestes a tornar-se chefe dos serviços secretos israelitas.
Porém, em vésperas da promoção, os acontecimentos parecem confabular para o atrair para uma última operação no terreno.
O ISIS fez explodir uma enorme bomba no distrito do Marais, em Paris, e um governo francês desesperado quer que Gabriel elimine o homem responsável antes que este ataque novamente.

Chamam-lhe Saladino...
É um cérebro terrorista cuja ambição é tão grandiosa quanto o seu nome de guerra, um homem tão esquivo que nem a sua nacionalidade é conhecida. Escudada por um sofisticado software de encriptação, a sua rede comunica em total segredo, mantendo o Ocidente às escuras quanto aos seus planos e não deixando outra opção a Gabriel senão infiltrar uma agente no mais perigoso grupo terrorista que o mundo algum dia conheceu. Trata-se de uma extraordinária jovem médica, tão corajosa quanto bonita.

Às ordens de Gabriel, far-se-á passar por uma recruta do ISIS à espera do momento de agir, uma bomba-relógio, uma viúva negra sedenta de sangue.
Uma arriscada missão levá-la-á dos agitados subúrbios de Paris à ilha de Santorini e ao brutal mundo do novo califado do Estado Islâmico e, eventualmente, até Washington, onde o implacável Saladino planeia uma noite apocalíptica de terror que alterará o curso da história.

A Viúva Negra é um thriller fascinante de uma chocante presciência. Mas é também uma viagem ponderada até ao novo coração das trevas que perseguirá os leitores muito depois de terem virado a última página. 
Uma teia de enganos."

Primeiro que tudo, tenho de agradecer à HarperCollins Portugal por me terem enviado um exemplar deste mais recente livro de Daniel Silva!

Mais uma vez, temos como personagem principal Gabriel Allon, um espião israelita prestes a tornar-se chefe dos serviços secretos israelitas, só que desta vez não vai ser ele quem se vai infiltrar num dos grupos terroristas mais perigosos de sempre. É Natalie, quem o faz. Se consegue ou não cumprir a sua missão, isso já é outra conversa! Hahaha!

Um dos aspetos de A Viúva Negra de que mais gostei foi o facto de ser visível a pesquisa feita pelo autor. É claro que, às vezes, tornava a leitura maçuda com tantas datas e informações, mas gostei verdadeiramente de ficar a conhecer melhor as motivações do ISIS e as razões de os conflitos no Médio Oriente e em toda aquela zona de Israel e arredores se encontrar há décadas em conflito.

As personagens têm consistência e eu adorei, mais uma vez, ler como o autor descreve o dia a dia de um espião como ele é realmente (e não como vemos na televisão), o que torna todo o livro mais fiável. Também as paisagens são descritas de uma forma fantástica que deixam o leitor a sentir que está no lugar que é descrito. O primeiro exemplo que me vem à memória é a descrição da cidade de Palmira, devastada pelo ISIS há alguns anos atrás, que é retratada em todo o seu horror, não deixando, mesmo assim, de nos cativar pela sua precisão. Também o dia a dia no califado é retratado do forma fiel, e deixa o leitor a conhecer melhor como é a vida dos terroristas.

Apesar de ser um policial, gostei bastante do facto de meter também umas pitadas de romance à mistura e adorei que as duas personagens ficassem juntas no final! Só espero que ambas continuem a aparecer nos próximos romances de Daniel Silva, para podermos acompanhar o desenvolvimento da relação!

No geral, gostei bastante deste livro, e tenho de admitir que a única razão que me faz dar-lhe quatro estrelas em vez de cinco é o facto de por vezes a leitura ser um pouco pesada e de, ao início, me ter sido difícil "entrar" na história.

Não deixo, no entanto, de o recomendar e fica a dica para aqueles que deixam tudo para a última: o dia do Pai ainda não acabou, por isso, se ainda não têm a prenda para o vosso melhor do mundo, não se esqueçam de que um livro é o melhor presente!

Classificação: 4/5

Uma leitura com o apoio da
Resultado de imagem para harpercollins portugal logo

18/03/17

Divulgação: "Encontra-me" de J. S. Monroe

"«Às vezes escolhemos ver só o que queremos ver. Outras vezes o que vemos muda a nossa forma de vermos todo o resto.»

Há cinco anos, Rosa percorreu o cais em plena noite, contemplou a água escura e turbulenta e saltou. Era uma jovem brilhante que estudava em Cambridge e acabava de perder o pai.
A sua morte foi trágica, mas não inesperada.
Foi realmente isso que aconteceu? As investigações determinaram que sim, mas Jar, o namorado de Rosa, não se dá por vencido.
Vê Rosa em todo o lado: vislumbra o seu rosto no comboio, julga distinguir a sua figura na falésia. Está obcecado pelo desejo de demonstrar que continua viva.
E eis que recebe um e-mail: Encontra-me, Jar. Encontra-me antes que eles me encontrem.
Mas Rosa terá realmente morrido? E se morreu, quem anda a brincar com os seus entes queridos?"

Lançamento: 01 de abril

Até parece mentira (perceberam o trocadilho?? ahaha!), mas, pelos vistos, Abril vai ser um mês recheado de thrillers!!

Desta vez, é a HarperCollins que nos traz a novidade (este mês, publicaram também o mais recente thriller de Daniel Silva, A Viúva Negra, cuja opinião está para breve no blogue).

Deixo aqui o booktrailer para vocês verem:

Para além da sinopse que é extremamente apelativa, são muitas também as críticas positivas da imprensa e de outros autores conhecidos que me deixam ainda mais curiosa:

“Um enredo complexo e uma verosimilhança avassaladora concorrem para que [este livro] se converta num best seller.” 
Clare Mackintosh, autora de Deixei-te ir

“O thriller mais engenhoso que leremos este ano. Fui incapaz de o largar.” 
M. J. Arlidge, autor de Um, dó, li, tá

“Um thriller intrincado como um quebra-cabeça, simultaneamente romântico e aterrador.” 
Lucie Whitehouse, autora de Antes de te conhecer e Keep You Close

Dito isto, de certo que já sabem o que fazer na manhã de dia 1 de abril: visitar a livraria mais perto! Hahaha! Ainda por cima calha a um sábado...!!

Resultado de imagem para harpercollins portugal logo

12/03/17

Divulgação: "A Rapariga de Antes" de JP Delaney

"«Por favor, faça uma lista de todos os bens que considera essenciais na sua vida.»

O pedido parece estranho, até intrusivo. É a primeira pergunta de um questionário de candidatura a uma casa perfeita, a casa dos sonhos de qualquer um, acessível a muito poucos. Para as duas mulheres que respondem ao questionário, as consequências são devastadoras.

EMMA: A tentar recuperar do final traumático de um relacionamento, Emma procura um novo lugar para viver. Mas nenhum dos apartamentos que vê é acessível ou suficientemente seguro. Até que conhece a casa que fica no n.º 1 de Folgate Street. É uma obra-prima da arquitectura: desenho minimalista, pedra clara, muita luz e tectos altos. Mas existem regras. O arquitecto que projectou a casa mantém o controlo total sobre os inquilinos: não são permitidos livros, almofadas, fotografias ou objectos pessoais de qualquer tipo. O espaço está destinado a transformar o seu ocupante, e é precisamente o que faz…

JANE:Depois de uma tragédia pessoal, Jane precisa de um novo começo. Quando encontra o n.º 1 de Folgate Street, é instantaneamente atraída para o espaço —e para o seu sedutor, mas distante e enigmático, criador. É uma casa espectacular. Elegante, minimalista. Tudo nela é bom gosto e serenidade. Exactamente o lugar que Jane procurava para começar do zero e ser feliz.
Depois de se mudar, Jane sabe da morte inesperada do inquilino anterior, uma mulher semelhante a Jane em idade e aparência. Enquanto tenta descobrir o que realmente aconteceu, Jane repete involuntariamente os mesmos padrões, faz as mesmas escolhas e experimenta o mesmo terror que A Rapariga de Antes."

Lançamento: 05 de abril

Para começarmos a semana motivados, hoje trago-vos a divulgação de mais uma novidade! E esta é uma bem apetitosa!!

Este ano têm sido muitos os policiais/thrillers psicológicos com que temos sido presenteados por parte da Suma de Letras e a novidade de hoje é mais um desses presentes.

A Rapariga de Antes é o thriller psicológico mais antecipado de 2017 (ao lado de Escrito na Água de Paula Hawkins) e vai estar disponível nas livrarias já no dia 5 de abril!! O pior mesmo é que esse é o meu primeiro dia de férias da Páscoa e acho que não vou aguentar sem ir a correr à Bertrand comprar A Rapariga de Antes e, assim, lá se vai o meu plano de o comprar na FLL...

E, como eu sou uma pessoa muito simpática, aqui fica o booktrailer para vos deixar com a água na boca... hihihi!


Mais uma vez, muito obrigada à Suma de Letras por esta excelente novidade! O que seria de nós, sem estes últimos thrillers que têm vindo a publicar?!